Arteris

Relações com Investidores

Menu

Histórico e Perfil Corporativo

Perfil

Arteris S.A., é uma das maiores Companhia do setor de concessões de rodovias do Brasil em quilômetros administrados. Com mais de 3,2 mil quilômetros em operação, desempenha importante papel no setor de infraestrutura rodoviária brasileira, sendo responsável por investimentos direcionados à melhoria, ampliação, conservação e operação dos trechos administrados no âmbito dos programas de concessão do Governo do Estado de São Paulo e do Governo Federal.​

 Através de suas concessionárias, a Arteris administra estradas que interligam o principal polo econômico do País – situado entre os estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e Santa Catarina – caracterizado por sua elevada densidade demográfica.

Ao todo são nove concessionárias, quatro estaduais e cinco federais, todas empresas de capital aberto, controladas em 100% pela Arteris – Autovias S.A. (Autovias), Centrovias Sistemas Rodoviários S.A. (Centrovias), Concessionária de Rodovias do Interior Paulista S.A. (Intervias), Vianorte S.A. (Vianorte), Autopista Fernão Dias S.A. (Fernão Dias), Autopista Fluminense S.A. (Fluminense), Autopista Litoral Sul S.A. (Litoral Sul), Autopista Planalto Sul S.A. (Planalto Sul) e Autopista Régis Bittencourt S.A. (Régis Bittencourt).

A Companhia detém ainda o controle das empresas Latina Manutenção de Rodovias Ltda. (Latina Manutenção) e Latina Sinalização de Rodovias Ltda. (Latina Sinalização), sociedades criadas com fins de fiscalização, gerenciamento de obras e manutenção de rodovias; além de participação acionária de 4,68% na STP – Serviços e Tecnologia de Pagamentos S.A., empresa que tem por objetivo desenvolver negócios relacionados ao sistema de cobrança eletrônica de pedágios.

A Arteris é uma empresa brasileira com 84,5% do seu controle detido pela Partícipes en Brasil S.L. A Partícipes en Brasil, por sua vez, tem suas ações divididas em 51% detidas pela Abertis Infraestrucuturas S.A. e 49% detidas pela Brookfield Motorways Holdings SRL.

Perfil dos Controladores

Abertis

A Abertis é líder mundial na gestão de rodovias e um dos primeiros operadores globais de infraestruturas de telecomunicações. Atualmente, a Abertis está presente em 12 países da Europa e das Américas. Concentra sua estratégia no crescimento seletivo e foca em negócios nos quais pode aportar maior serviço à sociedade e um maior valor ao acionista. A Companhia tem suas ações listadas na Bolsa espanhola e faz parte do seletivo Ibex 35, assim como dos índices internacionais FTS Eurofirst 300, Standard & Poor´s Europe 350 e Dow Jones Sustainability.

Rodovias: A Abertis administra diretamente mais de 7.300 quilômetros de vias de alta capacidade em todo o mundo. É o primeiro operador em países como Chile e Espanha e um dos principais na Europa (notadamente na Espanha e França) e na América Latina, com destaque para sua presença no  Brasil por meio da Arteris e em  Porto Rico. Além disso, Abertis participa da administração de concessões no Reino Unido, Argentina e Colômbia. No setor de tecnologia de pedágio, conta com contratos nos Estados Unidos, Irlanda e Canadá.

Infraestruturas de Telecomunicações: A Abertis tem posição chave no segmento de infraestruturas e serviços de telecomunicações na  Espanha, assim como a de operadora de referencia internacional no setor de transmissão via satélite.

 Para saber mais sobre a Abertis, acesse www.abertis.com

Brookfield

Brookfield é controlada indiretamente pela Brookfield Asset Management Inc., uma empresa listada em Nova Iorque e em Toronto com um valor de mercado de aproximadamente US$ 20 bilhões e mais de US$ 192 bilhões de ativos sob gestão. A Brookfield Asset Management atua no Brasil desde 1899, com presença (direta ou indireta) em 11 Estados e no Distrito Federal e mais de R$ 14 bilhões sob gestão. No Brasil a Brookfield atua principalmente nos segmentos imobiliário, energia renovável, infraestrutura e private equity. Para saber mais sobre a Brookfield, acesse www.brookfield.com.

 Localização Geográfica de nossas Concessionárias

Informações Gerais das Concessionárias

Concessões Estaduais Autovias Centrovias Intervias Vianorte Total
Extensão Total (Km) 316,6 218,2 375,7 236,6 1.147,1
Praças de Pedágio  5 5  9 4 23
Prazo de Concessão 20 anos 21 anos 28 anos 20 anos -
   Início Ago/1998 Jun/1998 Fev/2000 Mar/1998 -
   Vencimento Mai/2019 Jun/2019 Abr/2028 Mar/2018 -
Concessões Federais Planalto Sul Fluminense Fernão Dias Régis Bittencourt Litoral Sul Total
Extensão Total (Km) 412,7 320,1 562,1 401,6 405,9 2.102,4
Praças de Pedágio   5  5  8 6 5 29
Prazo de Concessão 25 anos 25 anos 25 anos 25 anos 25 anos -
   Início Fev/2008 Fev/2008 Fev/2008 Fev/2008 Fev/2008 -
   Vencimento Fev/2033 Fev/2033 Fev/2033 Fev/2033 Fev/2033 -

 As concessionárias estaduais são reguladas e fiscalizadas pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP) e operam de acordo com os padrões e normas estabelecidos nos contratos de concessão celebrados com o Governo do Estado de São Paulo. Por outro lado, as concessionárias federais são regulamentadas e fiscalizadas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e operam em conformidade com os contratos de concessão celebrados com o Governo Federal.

Histórico

1997

Em 1997, a sociedade espanhola Construcciones Laín, S.A (posteriormente fusionada à sociedade espanhola Obrascón Huarte, S.A., criando, em fevereiro de 1999, a Obrascón Huarte Laín S.A.) decidiu, dentro da sua política de diversificação de negócios, participar, junto com outras empresas brasileiras, na primeira fase do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, através de participação equivalente a 30% na Latina Infraestrutura S.A., empresa constituída para esta finalidade.

1998

Em 1998, a Companhia foi criada e, no mesmo ano, a Latina Infraestrutura S.A. adquiriu 30% da Autovias S.A. ("Autovias"), concessionária de serviços públicos responsável pela administração e exploração dos trechos rodoviários SP-345 Itirapuã / Franca, SP-334 Ribeirão Preto / Franca, SP-330 Santa Rita do Passa Quatro / Ribeirão Preto, SP-318 São Carlos / entroncamento com a SP-255 e SP-225 Ribeirão Preto / Araraquara. Com isso a OHL Brasil passou a deter indiretamente 9% do capital social da concessionária.

2000

Em dezembro de 2000, a OHL Brasil aumentou sua participação na Latina Infraestrutura S.A para 80% e, consequentemente, passou a deter indiretamente 24% do capital social da Autovias.

2001

Em janeiro de 2001, a OHL Brasil adquiriu uma participação direta de 70% na Autovias, através da OHL Participações em Infraestrutura Ltda., passando então a deter direta e indiretamente 94% da Autovias.

2002

Em abril de 2002, adquiriu, através da OHL Participações em Infraestrutura Ltda., 100% da Centrovias Sistemas Rodoviários S.A. ("Centrovias"), concessionária de serviços públicos responsável pela administração e exploração dos trechos rodoviários SP-310 Cordeirópolis / São Carlos e SP-225 Itirapina / Bauru.

2003

Posteriormente, em dezembro de 2003, adquiriu indiretamente os 6% remanescentes da Autovias, através da aquisição dos 20% restantes do capital social da Latina Infraestrutura S.A., passando portanto a deter 100% da Autovias.

2004

Em agosto de 2004, concluiu, através da OHL Participações em Infraestrutura Ltda., a aquisição de 100% da Concessionária de Rodovias do Interior Paulista S.A. ("Intervias"), concessionária de serviços públicos responsável pela administração e exploração dos trechos rodoviários: SP-147 Itapira / Piracicaba, SP-191 Mogi - Mirim / São Carlos, SP-215 Casa Branca / São Carlos, SP-330 Cordeirópolis / Santa Rita do Passa Quatro, e SP-352 Itapira / Divisa do Estado de Minas Gerais.

2005

Em 29 de abril de 2005, foi aprovada a transformação da empresa do tipo limitada para sociedade por ações.

Em 15 de julho de 2005 a OHL Brasil adere ao segmento especial de listagem Novo Mercado da BM&FBOVESPA S.A. - Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros e através do processo de abertura de capital (IPO), suas ações passam a ser negociadas ao mercado.

2006

Em junho de 2006 ocorreu uma reestruturação societária no grupo fundamentalmente compreendida em duas etapas: (a) a incorporação da Latina Infraestrutura S.A. pela OHL Brasil e (b) a cisão da OHL Participações em Infraestrutura Ltda. em três parcelas e a versão de cada uma destas parcelas em cada uma das concessionárias (Autovias,Centrovias e Intervias).

Em dezembro de 2006, através da SPR (Sociedade para Participações em Rodovias S.A), a OHL Brasil adquiriu 100% da Vianorte S.A. (Vianorte), concessionária de serviços públicos responsável pela administração e exploração dos trechos rodoviários: SP-330 Ribeirão Preto / Igarapava),SP-322 Ribeirão Preto / Sertãozinho), SP-322 Sertãozinho / Bebedouro.

2007

Em outubro de 2007 a OHL Brasil participou e venceu 5 dos 7 leilões de lotes da 2ª Fase do Programa de Concessões de Rodovias Federais promovido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT.

2008

Em 14 de fevereiro de 2008 a OHL Brasil e o Governo Federal assinaram os Contratos de Concessão por 25 anos para a gestão e operacionalização de 2.079 km dos seguintes lotes de rodovias federais do país:

  • Autopista Planalto Sul S.A., concessionária de serviços públicos responsável pela administração e exploração de trecho da rodovia BR-116/PR/SC, compreendendo o trecho entre Curitiba e a divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul;
  • Autopista Fluminense S.A., concessionária de serviços públicos responsável pela administração e exploração de trecho da rodovia BR - 101/RJ, compreendendo o trecho entre a divisa dos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo e a Ponte Presidente Costa e Silva;
  • Autopista Fernão Dias S.A., concessionária de serviços públicos responsável pela administração e exploração de trecho da rodovia BR-381/MG/SP, compreendendo o trecho entre Belo Horizonte e São Paulo;
  • Autopista Régis Bittencourt S.A., concessionária de serviços públicos responsável pela administração e exploração de trecho da rodovia BR-116/SP/PR, compreendendo o trecho entre São Paulo e Curitiba; e
  • Autopista Litoral Sul S.A., concessionária de serviços públicos responsável pela administração e exploração de trecho das rodovias BR-116/BR-376/PR - BR-101/SC, compreendendo o trecho entre Curitiba e Florianópolis.

A partir do dia 15 de agosto de 2008, as concessionárias federais da OHL Brasil passaram a oferecer os serviços de atendimento aos usuários das respectivas rodovias, como socorro médico, atendimento a veículos com problemas mecânicos, resgate de animais na pista, inspeção de tráfego constante e telefone 0800 para solicitar atendimento: tudo operando 24 horas.

Após a autorização pela ANTT da abertura parcial das praças de pedágio em cada concessionária, em 19 de dezembro de 2008 foram abertas as três primeiras (uma na Planalto Sul e duas na Fernão Dias), do total das 29 programadas para as cinco concessões federais. Ao final de 2009, 28 praças já estavam em operação.

2012

Em 24 de abril de 2012 foi anunciado Acordo de Intenções no qual OHL S.A. e Abertis anunciaram a intenção de realizar troca de ações, envolvendo o controle da OHL Brasil. Em 06 de agosto de 2012 foi anunciada a aprovação pelo conselho da Abertis da operação de troca de ações com a OHL S.A., com a participação da Brookfield, na proporção 51% Abertis e 49% Brookfield. Em 03 de dezembro foi anunciada a conclusão da operação, com aprovação de todos os órgãos competentes, por meio da qual a Abertis (com 51%) e a Brookfield (com 49%) passaram a deter 100% da Partícipes en Brasil, que por sua vez detém 60% do capital da Arteris S.A.

A partir de então a OHL Brasil passou a se chamar Arteris, mantendo todos os seus ativos no Brasil, e alterando o nome de negociação em bolsa (ticker) de OHLB3 para ARTR3.

Esta operação, que culminou na alteração do controle da Companhia, ensejou uma Oferta Pública de Aquisição (OPA), em linha com os direitos de Tag Along dos acionistas minoritários. A OPA foi encerrada e liquidada em 05 de Setembro de 2013 e trouxe um novo arranjo nas participações de controle da Companhia. A Participes en Brasil passou a deter 69,3% do capital da Companhia, mantendo a proporção de 51% Abertis e 49% Brookfield no controle da Companhia.

2016

Em 17 de maio de 2016 foi realizado o leilão de oferta pública de ações - OPA, para cancelamento de registro de companhia aberta como emissora categoria A e saída do Novo Mercado. 

Última atualização em